Seminário Lages no Desenvolvimento Sustentável resulta na criação de um comitê local do Movimento ODS




Aconteceu na Associação Empresarial de Lages na manhã desta quarta-feira, 06 de novembro, o Seminário Lages no Desenvolvimento Sustentável: buscando soluções para os negócios, as pessoas e o planeta, promovido pelo Movimento Nacional ODS Santa Catarina em parceria com o Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo e a ACIL.

A voluntária do Movimento ODS, Regina May, falou sobre a Agenda 2030, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na prática, o Fórum Brasil ODS, além da formação de um comitê em Lages. “Todos buscam o desenvolvimento. Se você começar um negócio, espera que se desenvolva. E assim são os ODS”, declarou.

Em seguida, Isabel Baggio, apresentou o case de sucesso do Banco da Família, do qual é fundadora e presidente. Há 21 anos, nascia o Banco da Mulher tendo como objetivo de oferecer linhas de crédito para ampliar pequenos negócios. Em 2003, visando aumentar sua abrangência, passou a denominar-se Banco da Família.

O banco tem uma das maiores operações de microfinanças do Brasil, com uma carteira de R$ 84 milhões, 20 mil clientes ativos e 175 colaboradores em 22 unidades. Hoje está presente em 117 municípios de SC, RS e PR, impactando 1.211.736 pessoas. Em 21 anos foram R$ 900 milhões investidos em pequenas reformas, trocas de cheques, recursos para saúde, prejuízos por problemas climáticos, saneamento.

Um dos produtos oferecidos pelo Banco da Família é o BF Saneamento, uma maneira de proporcionar mais qualidade de vida às pessoas. Segundo dados do Instituto Trata Brasil, para cada R$1 real investido em saneamento, economiza-se R$ 4 em saúde.

O último a se apresentar foi o diretor da Softecsul, Athos Branco. Ele apresentou o Case Target TD, relacionado ao oitavo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável. A plataforma é pioneira em monitoramento da segurança do trabalho. A entrega de Equipamento de Proteção Individual (EPI) é feita com identificação de biometria, controle de entradas, vencimento de EPI’s, uso adequado dos equipamentos, tempo de permanência em áreas insalubres. “O equipamento pode ser desconfortável, mas é proteção. Reduzem índices de acidentes, custos de projetos industriais, ações trabalhistas e índices de absenteísmo. Quanto mais a gente prevê um acidente, melhor para todo mundo”, afirma Athos.

Ao final do seminário foi formado um Comitê Local do Movimento Nacional ODS Santa Catarina. Seus membros devem iniciar o trabalho nas próximas semanas.