Em Joinville, ACIJ promove alterações em agendas públicas devido ao coronavírus (Covid-19)




A Associação Empresarial de Joinville (ACIJ) definiu a suspensão das atividades até a Páscoa, 12 de abril, mas podem ser estendidas por maior prazo conforme a evolução do coronavírus (Covid-19). Aos associados e comunidade em geral, a entidade informa que estão cancelados todos os cursos de capacitação e encontros dos núcleos. Os grandes eventos como o Meeting Comex e o Prêmio Akademos de Educação previstos para este primeiro semestre estão suspensos e deverão ser reagendados.

As decisões da entidade, com 1.990 associados, foram definidas nesta segunda-feira, 16 de março, em reunião da diretoria formada pelo presidente, vice-presidentes e diretores. Também foi criado o “Comitê de Crise”, com intuito de monitorar as consequências na economia e na saúde da população. Por hora, a ACIJ manterá o expediente da equipe interna, serviços aos associados e os encontros semanais da diretoria. Todas as medidas seguem a orientação do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Saúde e Secretaria Municipal e visam a prevenção, combate e enfrentamento a doença declarada como pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estimulamos as empresas que elas informem ao público quais atitudes estão tomando em relação aos empregados e vamos contribuir para evitar a disseminação do coronavírus. Para evitar as demissões, sugerimos férias parceladas em prazo menor e com isso se reduz a produção e, ao desonerar a folha, as empresas conseguem manter mais emprego”, avalia o presidente da ACIJ, João Joaquim Martinelli.

Segundo o advogado, empresas sem estrutura financeira poderão sofrer mais com o impacto da crise. “Principalmente empresas pequenas e que possuem dívidas, as pessoas não estão mais gastando o dinheiro para poder enfrentar a crise. Não se sabe como será o dia de amanhã”, disse Martinelli ao complementar que: “a população não pode achar que isso é apenas uma gripe, um resfriado, leve isso muito a sério”.

Covid-19

Entre os sintomas estão a coriza, tosse, dores no corpo e diarreia. Segundo Ministério da Saúde, quem retornou de viajem ao exterior deve ter isolamento domiciliar por sete dias depois do desembarque. Pessoas acima de 60 anos e doentes crônicos devem evitar locais de aglomeração. Pessoas com doenças autoimunes e condições respiratórias antecedentes, há gravida devido à sensibilidade dos pulmões. Para se prevenir, a orientação é lavar as mãos com água e sabão, usar álcool em gel; cobrir o nariz e boca ao espirrar ou tossir; e se estiver doente, mantenha os ambientes bem ventilados; procure uma unidade de saúde caso tenha sintomas de febre, coriza, dor de cabeça e garganta depois deter viajado para Europa, Ásia, África e Estados Unidos.