A realidade das micro e pequenas empresas de SC em pauta no 23º Congresso Nacional de Jovens empreendedores

14/11/2017. Publicado na categoria: Jovens empresários

Jorginho Mello será um dos palestrantes
Sonho para alguns, necessidade para outros. Ter o próprio negócio está entre os desejos dos brasileiros. Diante do cenário enfrentado pelo país, a população vê no empreendedorismo uma forma de ter e gerar emprego e renda.  No entanto, por falta de informação e planejamento, a maioria não sobrevive aos dois primeiros anos de vida. Essa é também a realidade das micro e pequenas empresas de Santa Catarina, um assunto que estará em destaque no 23º Congresso Nacional de Jovens empreendedores (CONAJE).
Realizado entre os dias 21 e 24 de novembro, em Balneário Camboriú, o evento trará painéis para debates e a visita de dezenas de jovens empreendedores de outros países, que vem ao Estado para conhecer a relação entre o governo e os empresários.  O encontro terá, entre outros objetivos, o fomento a criação e ao fortalecimento das Micro e Pequenas Empresas (PMEs).
Números das PMEs em SC
Conforme dados apurados pelo Sebrae, o Estado conta atualmente com 500 mil empresas entre micro, pequenas e microempreendedores individuais (MEIs). Juntos, eles geram 1 milhão de empregos diretos, o que resulta em  46% dos empregos formais.
De acordo com o presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa do Congresso Nacional, Jorginho Mello, que estará no CONAJE debatendo o assunto, no cenário nacional, os mais de 11 milhões de pequenos negócios representam 30% do PIB brasileiro, empregando 60% dos trabalhadores com carteira assinada e respondendo por 40% da massa salarial do país.
“As MPEs continuam crescendo, mesmo diante da crise. Em dezembro de 2007, o número de empresas optantes pelo programa Super Simples representava apenas 11% dos donos de negócio, em dezembro de 2017 esse número chegará a 50% e, em dezembro de 2022, deverá estar próximo dos 63%”, relata ao enfatizar que as MPEs são o grande combustível da geração de emprego e renda dos brasileiros e, portanto, é obrigação do poder público incentivar o desenvolvimento e sucesso das mesmas, para que se crie um ciclo positivo.
O Estado a favor das MPEs
Mesmo com o governo e a Receita Federal dando um tratamento diferenciado para as grandes empresas, entidades e forças políticas têm olhado com atenção para os pequenos negócios. “Como presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa do Congresso Nacional, nossa batalha tem sido muito mais árdua, mas ainda assim temos obtido algumas conquistas relevantes”, destaca ao enfatizar a aprovação da atualização do Super Simples, que começa a valer em janeiro de 2018, e a Reforma Trabalhista, que também vai ajudar na geração de empregos. O próximo passo está na obtenção de crédito, com linhas específicas de prazo e juros baixos.
Assunto é pauta em congresso empreendedor
Pra entender o relacionamento entre governo e micro e pequenos empreendedores, jovens de todo o mundo virão ao Estado. Durante a programação, o CONAJE também abrirá espaço para debates com convidados especiais. O painel dedicado as MPEs, trará nomes como José Ricardo da Veiga, da Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa e Jorginho Mello, Deputado Federal e presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa do Congresso Nacional. Também fará parte do debate o presidente da FAMPESC, Alcides Alves de Andrade Neto.
O 23º CONAJE é promovido pela Confederação Nacional dos Jovens Empresários e Conselho Estadual do Jovem Empreendedor de Santa Catarina (CEJESC).

O evento conta com o apoio da União Europeia por meio do programa de cooperação Al Invest 5.0, gerenciado pela Câmara de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo (CAINCO), Santa Cruz, Bolívia, cujo objetivo é promover o desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas em toda a América Latina.

Mais informações sobre o congresso no site:  www.23conaje.com.br.

 

Cadastre-se e receba nossas notícias: